terça-feira, 6 de março de 2012

Para o A.


Amo-te verdadeiramente, é a verdade.
E doí-me ver-te assim!
Já passámos o diabo junto. Na saúde, na doença... no nosso caso é mesmo verdade. E tu estiveste lá, desde o inicio, não te assustas-te, não fugiste!
Agora eu vejo-te assim, e tu não me deixas "entrar". Aparentas estar bem, mas não estás. Os teus actos traem a tua aparente calma.
Deixa-me "entrar"... vá lá, não fujas!
Mudei por ti. Tento (e nem sempre consigo), trazer a paz comigo quando chego a casa. Ando sem grande "ruído" por aquela que é a nossa casa. Mas tu foges, estás sempre noutra. E eu sei porque...
Mas não faças isso, não te escondas! Não é o fim do mundo! Prometo. Nem que para a tua sanidade mental voltar tenhamos que perder algum do conforto que o teu emprego nos dá!
Volta para nós. Quando vieres para casa, entra sozinho, deixa o que te preocupa do outro lado da porta! No dia seguinte sais e levas tudo contigo, e resolves todos os problemas!
Amamos-te.

...
Sinto dizer que amo mesmo
Tá ruim pra disfarçar
Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos
...
(Quem de nós dois - Ana Carolina)

3 comentários:

  1. Sem duvida...tb ja travei essa luta...e continuo a travar. Faze-lo entender que tudo o que fica somos nós...o resto é detalhe.

    Eu sempre consegui deixar os problemas de trabalho fora da porta...mas é um exercicio dificil

    ResponderEliminar
  2. :(
    É muito difícil e mesmo que nem sempre se consiga, temos que tentar. Obrigada por me leres :)

    ResponderEliminar